COMITÊ DE OFICIAIS DE REGATA

O Comitê de Oficiais de Regata da CBVela é formado por cinco membros no momento. Todos os membros são Oficiais de Regata Nacionais ou Internacionais e têm vasta experiência em suas disciplinas, que são divididas em juízes, gerentes de regata, medidores e árbitros. Cada disciplina atua em uma área diferente durante os eventos de Vela.

O Juiz julga os protestos em terra e também faz a fiscalização da Regra 42 (propulsão) dentro d’água. Ele é também responsável por assessorar o Comitê Organizador de um Evento de Vela na confecção dos documentos oficiais como o Aviso de Regata e Instruções de Regata.

O Gerente de Regata é o oficial de regata que conduz a regata, ele coloca o percurso, dá as largadas e faz as chegadas. Ele é responsável pelo resultado das regatas em um evento. Como o juiz, ele ajuda o Comitê Organizador na elaboração dos documentos mais importante como o Aviso de Regata e as Instruções de Regata, assim como o Regulamento dos Barcos de Apoio e qualquer outro documento que faça parte do evento.

O Medidor é a pessoa responsável em fiscalizar e inspecionar se um barco e equipamento está dentro das regras da Classe antes de um Evento iniciar as suas regatas. Em Eventos com mais de uma classe, existe um medidor chefe e os medidores de cada Classe, uma vez que as Classes têm regras bem específicas e eles são normalmente especialistas em uma a três classes. Durante a regata, os medidores podem fazer checagem de equipamentos dentro d’água logo após as regatas.

O Árbitro é responsável por julgar situações de regra entre barcos dentro d’água em três tipos de eventos: primeiro o Match Race, onde um barco veleja contra outro. Em segundo lugar, nas Regatas de Equipe, onde normalmente uma equipe tem até quatro barcos e disputa contra uma outra equipe. Por fim, a terceira modalidade é uma regata de flotilha onde esteja sendo aplicado o Adendo Q da Federação Internacional de Vela. Nesse caso, vários barcos competem juntos e as decisões são tomadas dentro d’água também. O árbitro hoje em dia é muito importante na vela olímpica, pois as regatas de medalha na finais olímpicas usa o sistema com o Adendo Q e os árbitros decidem as situações dentro d’água no momento da regata. A decisão do árbitro dentro d’água não pode ser questionada e é final.

Pela primeira vez, o Comitê de Oficiais de Regata foi eleito por voto direto de todos os Oficiais de Regata Internacionais, Nacionais e Regionais do Brasil. Foram eleitos os Presidente e Vice-Presidente e os Líderes dos Sub- Comitês de Gerentes, Juízes, Árbitros e Medidores.

A composição do Comitê de Oficiais de Regata é conforme abaixo:

Presidente:

Ricardo Navarro: Navarro é Gerente Internacional de Regata pela World Sailing, participou em dois Jogos Olímpicos como Gerente de Regata, nos Jogos Olímpicos Rio 2016 foi o Gerente das Áreas de Regata, é hoje Delegado Técnico de várias etapas da Copa do Mundo da World Sailing e é Diretor Técnico de Regatas da Classe Internacional de Optimist (IODA).

Vice-Presidente:

Nelson Horn Ilha: Nelson é Juiz, Gerente e Árbitro Internacional da World Sailing (Federeração Internacional de Vela), participou de 6 Jogos Olímpicos como juiz e é o Oficial de Regata mais experiente do Brasil na atualidade. Ele também é Instrutor de Formação de Juízes da World Sailing.

Líder dos Sub-Comitês de Juizes e Árbitros:

Ricardo Lobato: mais conhecido como Blu, é um dos juízes com maior experiência no Brasil, Juiz Internacional pela World Sailing, participou de inúmeros eventos internacionais e faz contribuições relevantes para a World Sailing no que diz respeito ao desenvolvimento e testes das Regras de Regata à Vela. Blu também é um Árbitro com vasta experiência no Match Race, em Regatas de Equipe e em regata com o Apêndice Q

Líder do Sub-Comitê de Gerentes:

Rogério Albuquerque: Gerão como é conhecido, é Gerente Internacional pela World Sailing, atuou na área de regata do 49er e 49er FX nos Jogos Olímpicos Rio 2016, realiza anualmente vários eventos internacionais. Ele também é medidor da ABVO (Associação Brasileira de Veleiros de Oceano). Tem também muita experiência como Juiz de Regata.

Líder do Sub-Comitê de Medidores:

Manoel Bunge: Manolo, como é conhecido, se tornou medidor internacional no ano de 2020, após ter sido por mais de 30 anos medidor nacional no Brasil. Tem muito experiência na Classe Oceano, mas também em outras Classes como Star e Soling. Faz parte pela primeira vez do Comitê de Oficiais de Regata no mandato 2021-2024.

CBVela_C_degrade.png